Desenvolvido por: BSIT-BR - Business Solution Information Technology - Brasil
FUNDO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ÁGUAS LINDAS
Quadra 19 - Lote 03 - Jardim Querência. Águas Lindas de Goiás-GO
CEP.: 72-910-732 - Fone: (61) 98580-1747 - CNPJ: 05.568.854/0001-92
E-mail: contato@funpreval.go.gov.br
   
Seja bem Vindo ao site do
FUNPREVAL
Boa noite! Hoje é Sábado, 21 de Outubro de 2017.
21:13:04

Sindicato deve devolver descontos de contribuição assistencial não autorizados pelo trabalhador

Postado em 20/jul/2017


A Justiça do Trabalho determinou ao Sindicato dos Empregados no Comércio do Distrito Federal a devolução de descontos efetuados no contracheque de um trabalhador, a título de contribuição assistencial. De acordo com a juíza Junia Marise Lana Martinelli, titular da 20ª Vara do Trabalho de Brasília, os descontos foram realizados de
forma indevida, uma vez que o vendedor não era sindicalizado e não autorizou as contribuições.
O trabalhador disse, na reclamação trabalhista, que durante o vínculo de emprego mantido com uma empresa do ramo de comércio, entre novembro de 2011 e junho de 2015, foram efetuados quatro descontos, em seu contracheque, de valores referentes á contribuição assistencial em benefício do sindicato. Alegando não ser sindicalizado e não ter autorizado tais descontos, conforme prevê o artigo 545 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), pediu a restituição dos valores apontados.
O sindicato, por sua vez, defendeu a licitude dos descontos, sob o fundamento de que seria possível a imposição do recolhimento das contribuições assistenciais a todos os participantes da categoria, já que os direitos advindos das negociações coletivas realizadas pelo sindicato beneficiam a todos os trabalhadores, indistintamente,
independente de o trabalhador ser ou não sindicalizado.
A magistrada salientou que a contribuição assistencial, também chamada de quota de solidariedade, prevista em normas coletivas, é devida apenas por empregados associados, a teor do que dispõe o artigo 545 da CLT, confirmado pela Orientação Jurisprudencial nº 17 da SDC e pelo Precedente Normativo nº 119, ambos do Tribunal Superior do Trabalho (TST).
A magistrada lembrou que ao julgar processo com repercussão geral reconhecida, o Supremo Tribunal Federal recentemente reafirmou a jurisprudência do TST no sentido de ser inconstitucional a imposição de contribuição assistencial por acordo, convenção coletiva de trabalho ou sentença normativa a empregados não sindicalizados. “Desse modo, tendo em vista que o reclamante não era sindicalizado e tampouco autorizou os descontos a título de contribuição sindical, reputo-os indevidos”, concluiu a magistrada ao condenar o sindicato a devolver ao trabalhador os valores descontados indevidamente de seus contracheques. Com informações do TRT-10
Fonte: Previdência Total

Recepção: (61) 98580-1747
Quadra 19 - Lote 03 - Jardim Querência. Águas Lindas de Goiás-GO CEP.: 72-910-732 - Fone: (61) 98580-1747 CNPJ: 05.568.854/0001-92